domingo, janeiro 3

Interlúdio

Os afazeres domésticos no WC têm o fantástico poder de eliminar o pensamento mais negro, qualquer réstia de agonia, qualquer mácula espiritual - o balde, a esfregona, o perfume do Sonasol Amoniacal; os joelhos encostados às paredes da banheira; a fricção diabólica de um pano amarelo; um vai e vem musculado que não cede ao cansaço; a luta incessante na chacina dos germes mais resistentes; as gotas de suor que tombam enquanto se esfrega com frenesim a banheira, lavatório, sanita e chão - depois do asseio, quando cair exausta, já não sobra nada de ti... Nem cheiro, nem cor, nem gosto... Nem sequer a sombra da tua silhueta gasta.

4 criaturas afundaram esta pérola:

Flávio disse...

Que lindo que está o teu blogue! Há muito tempo que não vinha cá. Parabéns e bom ano.

Miss Sunshine disse...

Escrita de primeira água. Brutal!

pinguim disse...

O teu blog encanta-me porque alternas a critica mais "desbagada" (mas correcta), com escritos destes que nos põem a pensar...
Beijoquita.

Jools disse...

Na 6ª passa podes contar comigo. Na 5ª e na 8ª ainda te ajudo:) Quanto ao resto, Boa Sorte!