quinta-feira, junho 26

Interlúdio

Lembro-me que na minha infância tudo me emocionava e isso não me envergonhava. Hoje, volvidos alguns (demasiados) anos, confesso por vezes sentir vergonha em reconhecer que poucas são as coisas que me emocionam.

10 criaturas afundaram esta pérola:

Rocket disse...

sempre podes andar com uma foto minha na carteira...

eh eh

jocas larés

vita disse...

É o que a idd nos traz..pouca vergonha e poucas emoções.;)

Atever disse...

Nem um bocadinho de raiva, às vezes?

Jorge Pessoa e Silva disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Jorge Pessoa e Silva disse...

E eu lembro-me da minha infância com nostalgia, o tempo em que bastava tomar banho para perder peso...

PS - Obrigado pela ideia para o meu post de hoje

Merchi disse...

... é triste a perda da inocência. Às vezes tenho saudades desse tempo ...

D.Antónia Ferreirinha disse...

Blueminerva, tadinha de ti com aqueles aparelhinhos na boca.
E será que o o gnu do caralho, é Boi?
Rsrsrsrsrs.
Beijoca e trata bem do homem que ele vai deixar-te a boca num miminho.

Fernanda disse...

Apesar de tudo...e do muito que já vivi,...do muito que já ganhei e perdi...mesmo assim, ainda me emociono,...ás vezes nem sei muito bem porquê, e por isso te percebo.

blueminerva disse...

É a perda da inocência como tão bem referiu o Merchi.

A todos um arquipélago de abraços

lampâda mervelha disse...

Ora bolas, afinal és boa pessoa.