terça-feira, outubro 9

Che - Já se passaram 40 anos e ainda não conseguiram enterrá-lo...

Apesar de haver "manchas" no percurso de Che, a verdade é que ficou para sempre o exemplo de um homem que não se deixou seduzir pelo conforto do poder, ficou para sempre o exemplo de um homem que continuou a lutar de arma na mão, muitas vezes em condições quase suicidárias, pelos ideais (nobres!) que o moviam.

Há quarenta anos, a 9 de Outubro de 1967, caía o homem e nascia o mito.


Hasta Siempre Comandante Che Guevara


Aprendimos a quererte
Desde la histórica altura
Donde el sol de tu bravura
Le puso un cerco a la muerte.

Aquí se queda la clara,
la entrañable transparencia
De tu querida presencia
Comandante Che Guevara.

Tu mano gloriosa y fuerte
Sobre la história dispara
Cuando toda santa clara
Se despierta para verte.

Aquí se queda la clara,
La entrañable transparencia
De tu querida presencia
Comandante Che Guevara.

Vienes quemando la brisa
Con soles de primavera
Para plantar tu bandera
Con la luz de tu sorrisa.

Aquí se queda la clara,
La entrañable transparencia
De tu querida presencia
Comandante Che Guevara.

Tu amor revolucionario
Te conduce a nueva empresa
Donde esperan la firmeza
De tu brazo libertario.

Aquí se queda la clara,
La entrañable transparencia
De tu querida presencia
Comandante Che Guevara.

Seguiremos adelante
Como junto a ti seguimos
Y con Fidel te decimos:
Hasta siempre Comandante.

Aquí se queda la clara,
La entrañable transparencia
De tu querida presencia
Comandante Che Guevara.



Carlos Puebla, 1965

2 criaturas afundaram esta pérola:

amsf disse...

Aquela data (1965) é estranha pois o Che morreu em 1967!

blueminerva disse...

Caro amsf,
"Hasta Siempre" é uma música de 1965. A música, é uma resposta a uma carta de despedida do Comandante Ernesto Che Guevara, aquando de sua última partida de Cuba. Esta letra remete a situações comuns a diversos países, como a relação entre revolução e luz (sol de tu bravura/ la clara/ soles de primavera/ luz de tu sonrisa), em oposição à escuridão das ditaduras e do sistema capitalista.
Parece uma homenagem póstuma, mas não o é.
bjs