segunda-feira, outubro 27

Pérolas da sétima arte

Um homem. Um ditador enclausurado, perturbado pelos seus medos, perdido na solidão do seu império, possuído pelos desejos alucinantes de poder, cercado pelas suas dúvidas e convicções. Um homem fragilizado pela doença e aterrorizado pela inevitabilidade dum futuro que a breve prazo se adivinha fatídico. Um homem vulnerável, atroz, megalómano, edificador de um regime sanguinário, capaz de transmitir benevolência com a mesma facilidade com que despreza todo e qualquer sentimento pela vida humana. Um homem, um monstro... um monstro humanizado.


"Der Untergang" de Oliver Hirschbiegel


Destaque para a hipnótica performance de Bruno Ganz na pele do descontrolado Führer. A interpretação do suíço é um verdadeiro hino ao cinema.

16 criaturas afundaram esta pérola:

Mlee disse...

Não acredito ... eu revi esse filme este fim de semana ... É um grande filme!
E aquela mãe no Bunker???? arrepiante!

Beijuka Blue ... always tuned ! :)

plexu disse...

Excelente filme e excelente actor!

blueminerva disse...

Tens razão Mlee! A frieza no momento que destina a vida dos filhos é verdadeiramente arrepiante.

beijocas

blueminerva disse...

Plexu,
Eu não conhecia o Bruno Ganz mas atrevo-me a dizer que a sua prestação em "Der Untergang" é das melhores interpretações que alguma vez vi no cinema.

beijocas

Cortes disse...

Gostei imenso deste filme, mas é desconcertante... Custa pensar que a História teve disto.

Woman Once a Bird disse...

Minha querida:
Este mesmo Bruno é memorável em As Asas do Desejo. A não perder.

Sobre este filme... vi-o no cinema. Soberbo de facto, ainda para mais porque desconstrói aquela imagem mítica que temos sobre o mal, perfeitamente reconhecível no nosso imaginário. Reconhecemo-lo sempre antes de nos atingir - antes de o deixarmos atingir-nos não é? Hitler é para nós a imagem mítica de um homem que reconhecemos imediatamente como sendo a sua personificação. Não o seria para os seus contemporâneos, para os mais próximos. Faz pensar, não é?

vita disse...

Um grande filme, que vale a pena rever.

Beijo jeitosa

blueminerva disse...

Ora nem mais WOAB! Hitler o demónio, é aqui nos mostrado como um homem, e é bom lembrar-nos disso, porque na realidade a história o tem descrito tantas e tantas vezes como alguém apartado à própria condição humana.

Quanto à película "As asas do desejo"... ainda estou para ver. E tenho mesmo de o ver.

Querida Vita,
Vale sim, quanto mais não seja enquanto documento (embora ficcionado) da realidade histórica.


beijocas

apenas um gajo... disse...

Sim, já vi o filme, e a sensação de irracionalidade, de delírio inumano é absurda. Assustador é pensar que é apenas mais um episódio do que somos e seremos capazes.
E sim,o Ganz faz um 'papel da vida'

Beijinhos

Ricardo Ramalho disse...

Foi um daqueles filmes marcantes!

Adorei!

3RRR disse...

Cara Blue, tens mesmo de ver n'As asas do desejo (Der Himmel über Berlin). Fizeram aquela cópia com o nome de "Cidade dos Anjos" mas Wim Wenders tem um Q de qualidade muito maior.
Certamente já viste imagens do filme no video dos U2 "Far away, so close". É também, como costumas dizer, um hino ao cinema.
Agora este Der untergang ainda tenho de ver.

Dry-Martini disse...

Vi este filme no cinema. Achei excelente, de um realismo impressionante ao qual ajuda muito (na minha modesta opinião) a lingua original alemã. Uma excelente caracterização e interpretação, pena que uma memória tão triste, que nos envergonha a todos.

XinXin


PS: A Mlee tinha razão, gostei da parceira do frasco de formol .)

Woman Once a Bird disse...

Ainda sobre As Asas do Desejo... My Private Lord tem uma curta actuação por lá... a ver se coloco o link.

Woman Once a Bird disse...

http://www.youtube.com/watch?v=ZS_GagmpfvU&feature=related

Uma olhadela.

Kisses

Pata de Urso disse...

Acho que este é daqueles filmes que ficam, não é por retratar a época do nazismo mas pela realização e a carga dramática intensa que transmite, sem dúvida um dos melhores filmes que já vi.

blueminerva disse...

Já vi. Tãããoooo noir. Oh WOAB, sou tentada a pensar que a película despertou-te a atenção não pelos nomes em cartaz, mas pela banda-sonora.

beijocas