quarta-feira, setembro 3

Orgasmos literários

"Por que é que fodemos o amor? Porque não resistimos. É do mal que nos faz. Parece estar mesmo a pedir. De resto, ninguém suporta viver um amor que não esteja pelo menos parcialmente fodido. Tem que haver escombros. Tem de haver esperança. Tem de haver progresso para pior e desejo de regresso a um tempo mais feliz. Um amor só um bocado fodido pode ser a coisa mais bonita deste mundo".

Miguel Esteves Cardosos in "O Amor é Fodido"


" 'Artur, vai pró caralho! Vai para a puta que te pariu. Eu não te admito uma coisa destas. Vai falar com o caralho. Comigo nunca mais falas.' E assim se deu, com algum pesar meu, a ruptura definitiva com o Artur Jorge."


Octávio Machado in "Vocês Sabem Do Que Estou A Falar"

13 criaturas afundaram esta pérola:

pinguim disse...

É giro que ando a ler um livro fodido e não é nenhum destes...
Qualquer dia falo sobre isso.

Não comentei o post anterior porque sabia que o que iria dizer iria ser dito por muita gente...e entendido por ti...

Beijocas.

afectado disse...

Belas leituras as tuas! :)

Então a do Octávio Machado... deve ser hilariante! Ou então imperceptível.

Beijos

blueminerva disse...

"O Amor é Fodido" de MEC já li faz alguns anos e é uma delícia. Quanto ao segundo livro, não li e tive conhecimento do mesmo aqui: http://clix.expresso.pt/gen.pl?p=stories&op=view&fokey=ex.stories/392894

beijocas

Ricardo Ramalho disse...

Ah grande Octávio!! :D

Tá-se bem! disse...

Curtia muito o MEC desde os tempos da noite da má lingua! Lembras-te?? Grandes noitadas a rir...

Beijocas ;)

blueminerva disse...

Ricardo,
A vinicultura deve andar pelas ruas da amargura... só assim se explica a publicação do livro.

Tá-se bem,
O que eu me ria com a noite da má língua. Foi a partir dessa altura que ganhei grande estima a MEC e Rui Zink e um odiozinho de estimação a Manuel Serrão e Júlia Pinheiro.

abraços

MB disse...

Não há orgasmos para ninguém!:
"O amor é fodido, limita muito o foder..."
Miguel Esteves Cardosos in "O Amor é Fodido"

blueminerva disse...

E no primeiro parágrafo lê-se:

"Quanto mais vou sabendo de ti, mais gostaria que estivesses viva. Só dois ou três minutos: o suficiente para te matar."

Uma relação desesperada, obsessiva, doentia, destruidora, patética, hilariante, absurda, surreal enfim... é quase impossível descrever o amor que MEC retrata no livro.

Um abraço MB

Merchi disse...

... e assim é o belo do AMOR

Merchi disse...

... e assim é o belo do AMOR

GANDALF disse...

Aqui esta um exemplo de um amor fodido,hehehehe.
O MEC sempre me fascinou,desde os livros,passando pela tv e ate nas suas cronicas jornalisticas.
Ja o Octavio e o Artur Jorge só tenho más recordações então do ultimo é pesadelos,hehehehe

beijinhos ;)

Margarida disse...

Lol
Blue, fizeste uma excelente compilação. É o "ying yang" de uma só "moeda", a moeda do amor.
No fundo, os homens só são SINCEROS para eles próprios e espécies homólogas. Quando se trata de gajas, os neurónios dos pobres de Cristo encolhem...

**

Parapeito disse...

o do Miguel já li faz anos e lembro que as pessoas ao repararem na capa...olhavam para mim assim como que a pensar....pois é :))
O do Octávio...quem sabe.,. por estes dias :))

****