sábado, agosto 2

Interlúdio

Acendes uma vela. Escolhes a música. A meia-luz respiramos Arvo Pärt. Sentados no chão da sala, perdemos a conta aos cigarros ardidos. Ficamos em silêncio. Espreito-te entre os acordes e tu sorris com os olhos cerrados. Beijas-me carinhosamente os pés e deixas-te aninhar nas minhas pernas. Faço um tremendo esforço para não chorar. Jamais permitirei que me vejas chorar.

-O teu coração pulsa a céu aberto na fortaleza em que te tornaste. Sei bem que não és um porto seguro, mas quero que saibas que és o porto.

Admiravelmente, insistes no resgate. Nunca te disse, mas és das pessoas mais fascinantes que conheci em toda a minha vida. Ignoro-te quando não estás, mas perto de ti tudo se torna irresistível. Odeio-me por não ser capaz de te devolver a candura dos afectos. Odeio-me porque não tenho palavras para ti... Gastei-as noutra passagem, noutro tempo, noutro amor.
Olho para ti e sei que morri. Matei parte de mim por sobrevivência... Instinto. Ambos sabemos que é preciso morrer as vezes que forem necessárias para por fim renascer. O início do cosmos.
Sussurros fantasmagóricos acusam-me de demasiado fria e árida, por insistir no que tu tão bem classificas de afectivamente desligada... Eu chamo-lhe catarse.

19 criaturas afundaram esta pérola:

Sorrisos em Alta disse...

Que mal tem ver-te chorar, miga?
calha a todos...

Um sorriso só para ti

pinguim disse...

Magnifico texto intrspectivo.
Beijinhos.

Rocket disse...

pois é. mas só um mago maior anula o feitiço anterior.

cresceste, e um antigo amor projectou-te para muito alto. lá chegar é trabalho de águia.

sorry... calha a todos, bem vejo muita alma boa a esforçar-se...

beijos nessa testa de sereia

vita disse...

Bonito..triste, mas de uma sinceridade tocante.;)

Beijo jeitosa

Mlee disse...

Que texto fabuloso...
Esse instinto de sobrevivência toca a muitos dos que já se (des)aventuraram no amor...
Admito que, de catarse em catarse seja possível lá voltar, num outro estado, com outra presença, ao que consta, até melhor ... é o discurso que me têm tentado impingir ...
Beijinhos grandes e solarengos ;)

jasmimdomeuquintal disse...

querida blue
conheço bem a sensação...
ma s cad aum de nós faz apena so que pode fazer: o resto faz a vida por nós.
Como dizia confúcio (que pelos vistos disse tudo?!) "A vida é o que nos acontece enquanto estamos ocupados com outras coisas"
bjocas e anima-te

Su disse...

...sim...o afectivamente desligada......

catarse........sempre

re.nasce

força amiga blue e jocas maradas de azul..sempre

Diego Gonçalves Amaral disse...

se for intenso como tu escreveste, saberás como e quando se desarmar... muito bonito! deixa-o ver o post!

beijo!

g. disse...

concordo com o diego porque nao lhe mostras o post?

lã volto eu às palavras do MEC "Como é que se esquece alguém que se ama?

Sim, como se faz? Como se esquece?

Devagar. É preciso esquecer devagar. Se uma pessoa tenta esquecer-se de repente, a outra pode ficar-lhe para sempre.

O esquecimento não tem arte. ... Para esquecer é preciso deixar correr o coração, de lembrança em lembrança, na esperança de ele se cansar.

Mas como esquecer? Como deixar acabar aquela dor? É preciso paciência. É preciso sofrer. É preciso aguentar.

Sofrer é respeitar o tamanho que teve um amor. No meio de remoinhos de erros que nos resolve as entranhas de raiva, do ressentimento, do rancor - temos de encontrar a raiz daquela paixão, a razão original daquele amor."

leva o tempo que precisares para amar de novo mas... não leves muito tempo porque quando deres conta o tempo passou rãpido demais, mas esquece para que não te fique para sempre.
bjs

rouxinol de Bernardim disse...

Bendita catarse esta que reflecte um espírito livre, adulto, responsável!

Nessa lagoa azul de clarividência e de sinceridade apraz mergulhar.

Enfim, há blogues que são divinais! Este é um deles!

D.Antónia Ferreirinha disse...

Já tinha saudades de te ler.
Gostei imenso deste post, onde mais uma vez denotas as fraquesas inerentes ao ser humano.
Beijinho em ti.

D.Antónia Ferreirinha disse...

* fraquezas, corrijo.
Beijo.

BaBy_BoY_sWiM disse...

Isso é muita paixão numa introspecção completa e profunda, nada facil de fazer!

Nuno disse...

Se neste blogg se pudesse dizer "foda-se" eu diria:
Foda-se, como podes dizer "gastei tudo noutro tempo, noutro amor"!!!!???...afinal tens 27 anos.

Beijos, guapa

blueminerva disse...

Querido Nuno, não que altere a tua linha de raciocínio, mas a verdade é que tenho mais dois anos em cima. Oh querido, bem que me apetecia deixar passar esse teu lapso...

A todos vós, um bem-haja pelas vossas generosas palavras.
Um arquipélago de abraços povão

Merchi disse...

... por vezes é preciso arriscar e ceder!

Nuno disse...

Tens 29 anos???...pareces uma miúda, fisicamente. Quando fazes afirmações como a deste post...pareces que tens 50...vividos.

Beijos, miúda

lampâda mervelha disse...

Todo esse "mal" desalinhado, como de um copo de vinho se tragasse cada palavra sentida até à exaustão. Cativante, todo o vazio que se instala depois da purga.

Actos de conjura.. necessária.

Bluejump disse...

Quem me dera saber colocar nas palavras tanto sentimento!
"Beijas-me os pés e deixas-te aninhar carinhosamente nas minhas pernas. ... Ignoro-te quando não estás, mas perto de ti tudo se torna irresistível."
Isto é dejá-vu!
Adoro ler estes post