sábado, julho 26

Interlúdio

Abres aspas - Lês um parágrafo e com a força das palavras iluminas o que resta da noite. Tu és assim, vences a escuridão. - Fechas aspas.
Estendes o braço e amparas-me a mão fria. Encosto-me e deixo-me adormecer nos teus braços. Passam-se horas. Acordo no colo da solidão.
Preciso de esclarecer. É urgente que saibas que não quero aprofundar nada. Não me serve, percebes? Não quero que me contes histórias da tua infância, não quero saber em que escola andaste, que filmes te arrancaram lágrimas, que músicas te atiraram prá pista de dança, que viagens fizeste, nem sequer o que almoçaste ontem. Se me souberes adiantar qualquer coisa sobre o futuro, agradeço, caso contrário mais vale estares calado.
Leio a nota deixada na bancada da cozinha: "és especial". Enerva-me que te esforces tanto... eu não me sinto especial.

12 criaturas afundaram esta pérola:

pinguim disse...

Tão pessoal...é melhor nada dizer...
Beijinhos.

Su disse...

fica o esclarecimento:)

jocas maradas ...sempre

Rocket disse...

eu não preciso de me esforçar, para te afirmar convicto, que és, de facto, especial...

beijos

vita disse...

Pois..devias sentir.;)

Beijooo

Sorrisos em Alta disse...

Tens mau gosto!
Não sabes apreciar o que é especial.
E que até nem está longe.
Está onde tu estás, Ó ESPECIAL!

Toma um sorriso

Joel Barbosa disse...

Todas as pessoas que revelam uma franqueza e transparência semelhante à sua são especiais. Do que tenho acompanhado neste blogue, e já o leio à algum tempo, a única palavra que me ocorre para lhe definir é realmente especial.
Joel Barbosa

Luís Galego disse...

Se me souberes adiantar qualquer coisa sobre o futuro, agradeço


fantástico, lúcido, ao arrepio do politicamente correcto, aplaudo

Jorge Pessoa e Silva disse...

Já te passou pela cabeça que o que ele quer, com tanto esforço, é que o consideres especial?

(Eu não sei se isto faz sentido, nem era nada disto que eu queria comentar. Mas todos aqui já dizem que és especial e eu nem sempre acho especial graça ao eco... Eles acham que és especial, eu também, tu sabes que és especial, por isso, escrevi um comentário diferente, só para ser diferente. E eu tenho sempre uma vantagem: mesmo que seja um comentário parvo, as pessoas já estão habituadas a que eu não tenha grande senso no que digo...)

Beijinhos

PS - Já tinha dito que eras especial? Já?!!! Desculpa, não é preciso zangares-te...

Tá-se bem! disse...

Ao menos escreves de uma forma especial... eu gosto!

Bom fim-de-semana!
Beijo

blueminerva disse...

A magnífica Joan Baez (na coluna ao lado esquerdo) ajuda a explicar melhor.

A todos um arquipélago de abraços

Ricardo Ramalho disse...

Se não te faz sentir (seja lá o que for...) não faças (seja lá o que for...)

MARNUNEFREI disse...

You “can not” be in a relationship by selfishness, or you won’t acknowledge that loneliness is not the absence of people, but is in there presence that loneliness is fully realised.

You place your love as a result of an idealistic relationship, mostly outside of yourself.

And I’m sorry, to be the one to tell you that. But...

Love starts with the love of oneself… then the love for nature, for another and so increasing love for life and God himself!

“You can’t love another without the love of self.”

Neale Donald Walsch

And so you won’t know love until you love!

So, let someone love you, in there own way, even if that love is not inside you!!

-But you won’t admit that love is not within you, will you??

But notice that love is altruistic, without requests, expectations… it’s all about giving, giving, giving!!!

If you find yourself wanting something, is not love.
It’s need, a transaction, a business, a trade, even fear.

Love is turned into an object for manipulation!!!

Love is like the wind, the water, you can feel it, taste it … but if you try to hold it, possess it!!! It will slip right between your fingers!

Don’t try to contain it, restrict it and limit it to an idealistic, preconceived vision of a relation!

Careful girl! Because with expectation comes demand, rules, commitment, possession, obsession, jealousy, oppression, hate, violence…!…in a form of a victim.

“…I gave you my love!”
“How could you do this to me?”
“It’s no fair!”
“What have I done, to deserve this?”

Your present relationship is nothing more than two victim of there own expectations.

That’s why that “special” is such a burden to you, unconsciously you know that you’re somehow in debt!

And the only reason that you don’t see that as an altruistic act… is because we don’t expect others to do for us what we’re not willing to do for another!

So it’s not him that demands anything for what he gives… it’s you!!!
For your love you demand to be loved!
And in the absence of your love, you demand nothing! And it even offends you if you receive any!

Loneliness is nothing more than the absence of love!

I like too much!!! But enough for what you deserve!!!

Kiss, kiss