terça-feira, julho 15

Interlúdio

Quis voltar para casa sozinha. Deixei-o a dormir... suponho que dormia bem, porque ressonava ao de leve. Ontem à noite, enquanto andava sozinha pelas ruas da cidade, julguei por um breve instante ouvir de novo o som dos teus passos a meu lado.
A rua deserta, os candeeiros públicos vibrantes, nas lojas os manequins pareciam sussurrar e eu quase jurei sentir o teu braço forte a amparar-me o ombro a caminho de casa a meio da noite.
Deixei-o a dormir... toquei-lhe com os meus lábios no rosto amarrotado pela almofada e saí sozinha. Ainda trago um pouco de calor, mas agora que estou só, sei bem que o fogo que arde dentro de mim é outro. A tua ausência reclama e declaro-me impotente para varrer-te dos meus pensamentos.
Deixei-o a dormir... e a caminho de casa penso em ti, penso no que nos sucedeu, no que me trouxe até aqui, no perdão que te neguei e no quanto é dolorosa e ténue a linha que separa o ódio do amor. Odeio-te a espaços e amo-te na permanência.

15 criaturas afundaram esta pérola:

ηatalie αfonseca disse...

....e essas palavras poderiam ser igualmente minhas!
Penso que andamos (muitos de nós) a sentir o mesmo...

It's a fine line between pleasure and pain....

:)

Anónimo disse...

O http://de-coracoes-humanas.blogspot.com/ vai fechar.
Vamos todos unirmos para convencer e LC e não fechar o blog. Vamos todos pedir para não desistir. Porque o blog dela também faz parte das nossas vidas…
Vai ao blog dela e perca 5 minutos a ler e a comentar.

Freitas disse...

Gostei da escrita.
Envolvente

pinguim disse...

Estou a aprender a gostar MUITO, de te ler; obrigado...
Beijocas.

vita disse...

Muito intimo, gosto de ler estes teus "interlúdios"..;)

Beijo jeitosa

Rocket disse...

cacete... é o que eu digo, a felicidade não dá bons posts...

jocas

Rute disse...

E é aqui que vemos uma outra pessoa que não conhecemos e ficamos com a curiosidade de te desvendar. Pois mesmo sofredo és brilhante. clap clap para este texto!

Sim, a Natalie tem razão. Parece mesmo uma cena que também foi minha. Há muitas hostórias iguais... Diferentes na forma em que se sente. ;)

Beijinho

Margarida disse...

Já enviaste um exemplar p alguma editora? Destronavas a Rebelo Pinto e outras pseudo-escritoras. hehe

Parapeito disse...

Decerto destronava melhores.... que a dita Rebelo Pinto.

"Odeio-te a espaços e amo-te na permanência"...(amar assim é muito)

***

Tá-se bem! disse...

Lindas palavras.. certeiras ;)

3RRR disse...

Apoio o que disse a Margarida. Bates a Rebelo Pinto aos pontos.

Best wishes

H. Freitas

Su disse...

oh blue essa frase é divinal.....pois é..vou ripá.la

jocas maradas sem intervalos

D.Antónia Ferreirinha disse...

Que comentar?
Porra pra isto tudo, não é?
Beijinho.

Miguel Noite disse...

Fantástico!
Adorei!

Bluejump disse...

É real/ incrivel como tantos de nós passamos por isto!
Pensamos estar sózinhos, mas mts nos acompanham nesta dor de merda...
Foda-se, eu não deixei ninguém!
E no entanto ainda me sinto impotente para o varrer dos meus pensamentos.
Faço das tuas as minhas palavras: "odeio-o a espaços e amo-o na permanência"

Ps:Adoro o teu blog e a tua franquesa