quarta-feira, abril 30

Vidas ajustadas

28. Vinte e oito anos. Olho à minha volta, para os que me estão próximos e vejo vidas ajustadas. Os amigos casados, ou a viver maritalmente e alguns já com filhos. Vidas ajustadas. Olho-me ao espelho e, apesar dos 28 anos, sinto-me tantas e tantas vezes uma adolescente. Mas não a adolescente dramática, idiota, e idealista que fui no passado. Sou uma adolescente serena que vive a incerteza do amanhã. Demasiado jovem para ser velha. Ciente daquilo que sou e com certezas vincadas sobre as coisas que não quero. No entanto, ainda sobram demasiadas dúvidas sobre o que realmente almejo. Sou uma adolescente serena.
Olho à minha volta e vejo vidas ajustadas e penso... também eu poderia ter a minha vida ajustada, se há anos atrás eu tivesse me resignado e me contentado. Se eu tivesse me acomodado como tantos fazem. Mas as palavras tornaram-se vazias, sem cor, sem cheiro, sem corpo. Os gestos mecânicos, ausentes de volúpia. E eu sentia-me desfalecer numa morte lenta e certeira. Hesitei, questionei-me, sofri, chorei, chorei tanto que senti-me secar. Ao fim de um tempo, veio-me à memória as palavras do meu pai.

O meu pai disse-me uma vez: "Não sejas mais uma, sê tu própria! Ainda que controversa, não importa, sê tu própria." Não sei bem no que ele pensava quando me disse aquilo, porque estava com os copos, e o meu pai com os copos é uma espécie de Albert Cammus mas muitíssimo mais prosaico. Mas o que sei, é que o meu pai sempre nos encorajou (a mim e aos meus irmãos) no sentido de sermos espíritos livres e pensantes.

Não me arrependo do que renunciei, porque acredito piamente que só faz sentido perder-se num grande amor se for para se encontrar. E eu andei sempre à deriva.
Hoje, com 28 anos, gosto de acreditar que sou um espírito livre e pensante.
Hoje, com 28 anos, não tenho ânsias de uma vida ajustada mas aguardo serenamente por aquele que virá e provocará o estridente "efeito Mantorras".

23 criaturas afundaram esta pérola:

Vieille Canaille disse...

Tenho 34 e não invejo a vida ajustada de ninguém! Há dias li num artigo, sobre a Nina Simone, que ela tinha um namorado na sua juventude, a quem ela abandonou pela carreira, anos mais tarde regressou à terra, e viu nele um homem acomodado, casado, com muitos filhos e... apagado! Ela, entretanto, tornara-se um ícone incontornável do Jazz! Já cheguei a sonhar com casamento, mas fácilmente cheguei à conclusão que, se casasse, não seria por mim, mas pelas pessoas que me rodeiam, que têm espectativas sobre mim, que me querem vêr casado! Como dizia a Rossy de Palma, no personagem a que deu vida em "Kika" (Juana), filme do Pedro Almodóver, quando questionada sobre a sua homossexualidade: "Yo soy autentica signora!" A única maneira de podermos viver de facto, é sendo autênticos com nós próprios.

BaBy_BoY_sWiM disse...

Não sei que dizer... Ou melhor sei, por exemplo conheço imensa gente com 27 ou 28 ou mais que agora já não se quer casar ou quer casar mais tarde. Além de ser a geração do recibo verde, é uma geração descartavel. Não estou a dizer isto com sentido negativo, não pense. Estou a dizer isto com sentido de revolta, de querer ser livre por mais tempo... Curtir mais tempo a adolescência...

Eu apesar de jovem... Não deveria fazer planos... Mas sonho que quando tiver aos 28 anos terei que pensar em casar... Possivelmente chegarei lá e pensarei de forma diferente, quem sabe?! Mas sonho em casar com alguém que ame e que essa pessoa me ame... e ter aquela vida "ajustada" que possivelmente para a minha geração será desajustada!

Beijinho... O que interessa é sermos felizes pelo que somos e como somos!

NunoSioux disse...

Olha, tenho 26 (menos 2 que a Exma. Sra. Dona), e a minha vida continua a navegar em ondas de incerteza.

Não me assusta....

Mas isso só demonstra que és tu propria (como te sussurou o papá) o efeito estádio orgasmico há de chegar.....

Beijo

Natalie Afonseca disse...

Devemos viver cada dia como se fosse o último! AProveitar todos os momentos! DIvertirmo-nos! Rir! SOrrir!!

E o que tem se os amigos são casados? COm filhos?

São felizes?

Também o és à tua maneira, de certeza!!

Não é por chegarmos a uma certa idade que somos obrigados a casar e a ter filhos! Há tanta gente por aí, com mais idade, que não é casadom nem tem filhos e aproveita a vida à sua maneira!!!!! :)))

Mon amie, CARPE DIEM! :)

E como dizem os nossos pais: Be yourself! :)

lampâda mervelha disse...

Sentes-te bem na tua pele?

Então nada mais é relevante.


:)

Shinobi disse...

Cara amiga,

junta-te ao clube dos espíritos livres e "livres pensantes", do qual orgulhosamente também faço parte :) !
Falando por mim, confesso que um dos meus sonhos é constituir uma família. No entanto, recuso-me terminantemente a alinhar por diapasões sociais. Acho que é uma decisão extremamente séria para tomar de ânimo leve.
Contudo, não há bela sem senão, e o "senão" é que por vezes podemos correr o risco de o tempo nos ultrapassar...

Haja fé...em nós próprios e no nosso livre e prudente discernimento!

Beijinho!

Shinobi disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Miguel disse...

28 anos? tás nova mulher :D

e se tens as tuas próprias ideias ainda melhor ;)

Pedro disse...

Sou mais novo e sinto o mesmo e sei que qd me deixar de sentir ai serei mais um robot "programadinho" como os que vemos sempre que saimos ah rua.
Ai a minha vida acabou mm que viva mais 50 anos depois disso.
A inconformidade é o que nos mantem "vivos".
Gostei mt do teu blog ;)

Sorrisos em Alta disse...

Sua...Pituxa!!!
:o)

Tudo o que queres da vida é um problema no joelho????
;o)))

Abraço

ruibardo disse...

Parabéns! :)
Eu por acaso sou casado, mas nunca acreditei que ser livre e pensante tivesse alguma relação directa com as relações interpessoais, de amizade ou de amor, que se mantém!
Tens é que ser tu própria e os que te rodeiam devem gostar ou pelo menos aceitar o que és! Os que não o fazem não são bem vindos!
Boa sorte! Sozinha ou acompanhada,porque na realidade quem não tem marido/namorado tem amigos ou família e raramente alguém está totalmente só!

blueminerva disse...

Meus amigos,
A minha grande frustração, é não saber fazer arranjos florais. Tudo o resto são divagações e reflexões.

Um arquipélago de abraços

Rute disse...

O momento é esperado. Cada pessoa tem a sua altura. És feliz tenho a certeza. E todo o resto aparecerá para te completar quando for altura. A vida é assim. Mas a cima de tudo temos de ser nós próprios mesmo!

Acredito que és uma mulher completa e que apesar de por vezes te ires a baixo, como toda a gente, és forte e atingirás todos os teus objectivos ;)

Beijinhos aqui do continente ;)

Nuno disse...

No tempo em que conheci minha mulher, ainda não existia o "efeito Mantorras", porque simplesmente, nem tu nem ele eram nascidos. Naquela altura chamavamos-lhe simplesmente "Paixão". Vai dar ao mesmo, chamemos o que quisermos. O facto é que 29 anos depois (tínhamos 19 anos) somos um casal com "as vidas ajustadas" mas nunca nos "acomodámos", nunca nos "resignámos" e amamo-nos um pouco mais a cada dia que passa. Tínha 21 anos, era, um espírito livre e pensante quando tomei a decisão de passar o resto da minha vida com aquela mulher. Nada tem a ver com a idade...nem com a liberdade. "O homem mais livre que conheci, vivia acorrentado ao coração de uma mulher"

Beijos...de saudades

MB disse...

identifico-me inteiramente com o texto... aos 28 sinto que o tempo passa mais depressa por mim do que eu pelo tempo. bem hajam aqueles que não se ajustam!!

MARNUNEFREI disse...

You don’t need the flowers…
…Everything that you touch…
…blossoms.

Su disse...

simplesmente vejo.t como adulta....


jocas maradas e pensantes

MARNUNEFREI disse...

People love their prisons…
…or should I say…
…their Rings!

blueminerva disse...

Não me interpretem mal... não há nada de errado em ajustar a vida, aliás, faz todo o sentido mas, (atenção que aqui o "mas" é o fundamental) se for com a pessoa certa.
Tenho uma tia que está casada à 22 anos e à pouco tempo confessou-me que quando está deitada ao lado do meu tio tem a certeza que não quereria outro homem naquela cama, porque ele a faz feliz.

Um arquipélago de abraços

O Pinoka disse...

Se mesmo com incerteza no futuro te sentes serena, então aproveita e goza com serenidade a adolescente que és.
Quando tiveres que ajustar algo, se não procurares com impaciência, vai assentar que nem uma luva.
Beijos

Merchi disse...

... simplesmente lindo!

Nuno Henriques disse...

Raios parta o pessoal mais as vidinhas ajustadas... assim nunca chegam a viver plenamente, sempre fazendo compromissos não vá o diabo tece-las, sempre a tentar fazer o que os outros pensam que será provavelmente o melhor para nós, pois já a bisavó na sua infinita sabedoria o dizia. Mas caramba, tentemos fazer algo sem ser ajustado ao status quo, sem hipócrisia, sem medo de falhar e sem desculpas, pois mais vale tentar e falhar do que nunca saber onde se poderia ter chegado se tentássemos.

Um madeirense exilado - por opção própria.

... disse...

"Solidão é independencia, com ela eu sempre sonhara e a obtivera afinal após tantos anos. Era fria, oh! Sim!, mas também era silenciosa e grande como o frio espaço silente em que giram as estrelas" - Harry Haller

Eu acredito que você tem uma visão simplista e pequena da "vida acomodada".

Comecei a namorar minha esposa com 16 anos. Aos 13 eu já trabalhava, casei aos 21, e aos 21 tive meu primeiro filho.

Tenho 24, sou casado, moro bem, pago minhas contas.

Mas o melhor, é que sou único, individual e auto-centrado.

As vezes você olha pro lado e vê um ajustado e pensa: "Lá vai mais um...".

Cuidado, isso é um pensamento perigoso. Hitler foi mais um preso durante a primeira guerra. Gandhi foi mais um antes de virar o ícone contra a dominação Inglesa. As vezes o seu vizinho trabalhador e comum, dadas as circunstâncias certas, pode se tornar *aquela* pessoa que realmente faz a diferença.

Eu sou Ajustado, Mas definitivamente não sou convencional!

Quanto a Almejar...

Pessoalmente, almejo pouco. Almejo ser sempre melhor do que o melhor Eu que eu posso imaginar. E almejo ser completo sozinho pois só assim poderei contemplar uma boa compania da forma que tem que ser, por opção e não por medo ou carência.

PS: Da uma passada no meu Blog e lê os ultimos posts... tem a ver com o seu.